sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Novo Acordo Ortográfico, para quando?

Por Andreia Azevedo

Supostamente (e digo supostamente porque estamos em Portugal) até ao final deste ano de 2007 seria aprovado o Protocolo Modificativo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

A título de exemplo aqui ficam algumas alterações que serão levadas a cabo pelo respectivo protocolo:

  1. De húmido passa a úmido;
  2. Desaparecimento do "p" e do "c" nas palavras em que não são pronunciadas: óptimo/baptizado;
  3. Só quando os prefixos terminam em "r" se mantêm o hífen: hiper-realista;
  4. Desaparecimento do acento circunflexo nas palavras com acento tónico na penúltima sílaba, terminadas em "o";
  5. Desaparecimento do acento circunflexo na 3ª pessoa do presente do indicativo e conjuntivo, ficando assim: creem/veem, etc...;
  6. O k/w/y farão parte do alfabeto.

Será que ainda vai demorar muito?

Vá, toca tudo a estudar português!

2 comentários:

Camarada Choco disse...

Divulgação

Um Blog ,dois livros!

www.camaradachoco.blogspot.com

“Camarada Choco”

e

“Camarada Choco 2”
António Miguel Brochado de Miranda
Papiro Editora

Papelaria “Bulhosa” Oeiras Parque, Papelarias “Bulhosa”, FNAC ou www.livrosnet.com

Tema: Haverá uma fronteira entre os Aparafusados e os Desaparafusados?"

Filmes de Apresentação no “Youtube” em “Camarada Choco”

Susete Evaristo disse...

Aprender Português? Ou desaprender português. Garanto que passarei a dar mais erros do que dou. Agora por descuido ou por querer ao escrever acompanhar o pensamento. Depois com convição. Eu sei que no passado séc xx, se registaram vários acordos ortográficos entre Portugal e Brasil. Um em 1911; com ajustamentos em 1920,1929. Nesta altura deixamos o ph de Pharfácia, o th de Theatro ou a forma Archipelago por exemplo.
Uma das mais polémicas reformas linguísticas foi a de 1945 que teve em Almada Negreiros, um dos maiores opositores, tendo publicado o Manifesto anti-Dantas uma vez que Júlio Dantas foi o presidente da Delegação Portuguesa na Conferência Ortográfica de Lisboa os trabalhos começaram em 1931 e culminaram publicadas em 1940 e 1943, com 51 bases de alteração.
De referir que em 45 foram anuladas várias introduções aprovadas em 1911
Em 1973 novo acordo retirou os assentos às palavras terminadas em (mente) abulindo quase completamente o assento grave.
Nova alteração deu-se em 1990 e não contentes vem agora com mais uma eu porém continuo a defender que estes acordos só contribuem para "matar" a nossa lingua sem se lembrarem que tal como dizia Fernando Pessoa "O meu país é a minha língua" assim vai Portugal!!!!!!!!!!

MANIFESTO ANTI-DANTAS (extracto)

Basta pum basta!!!
Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi. É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma resma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!
Abaixo a geração!
Morra o Dantas, morra! Pim!
Uma geração com um Dantas a cavalo é um burro impotente!
Uma geração com um Dantas ao leme é uma canoa em seco!
O Dantas é um cigano!
O Dantas é meio cigano!
O Dantas saberá gramática, saberá sintaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias pra cardeais, saberá tudo menos escrever que é a única coisa que ele faz!
O Dantas pesca tanto de poesia que até faz sonetos com ligas de duquesas!
O Dantas é um habilidoso!
O Dantas veste-se mal!
O Dantas usa ceroulas de malha!
O Dantas especula e inocula os concubinos!
O Dantas é Dantas!
O Dantas é Júlio!
Morra o Dantas, morra! Pim!