terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Receitas de Natal - Para iniciados na cozinha

Lombinhos de Edição à moda do campo, c/ molho especial e champignons

Ingredientes:
1 Vasta Rede de contactos
1 (Boa) Ideia
1 Ramo de Conteúdos (se forem frescos melhor)
Espírito Crítico
500g. Lombos de edição
100g.Queijo
2 Tomates
4 Ovos
Pão ralado
12 Champignons laminados


Estenda a rede de contactos numa mesa apropriada para o efeito. De seguida seleccione os contactos que apresentam maior capacidade para ir ao forno. Memorize-os bem porque daqui para a frente são eles que lhe permitirão aguentar temperaturas mais elevadas. Num prato à parte comece a desmanchar o naco de ideias em vários lombinhos para edição. A menos que a sua intenção seja assustar os convidados, procure seleccionar os pedaços mais suculentos e apelativos. Dependendo de quem queira impressionar poderá ter que privilegiar o aspecto em relação à qualidade (lembre-se que os olhos também comem). Corte a carne com golpes secos mas definidos. Um bom domínio dos utensílios de edição é essencial para realizar esta tarefa.

Numa taça coloque as gemas de 4 ovos. Pegue nos lombinhos seleccionados, tempere-os com um pouco de espírito crítico e mergulhe-os nas gemas até ficarem completamente cobertos. Seguidamente passe-os por pão ralado. Reveja cuidadosamente este processo, as vezes necessárias, para reduzir ao mínimo a possibilidade de estragar o seu cozinhado logo à partida. Deixe-os a fritar até ficarem lourinhos.

Reúna os contactos seleccionados e prepare-os para a acção. Forme pequenos quadrados e barre-os num dos lados com tomate, orégãos e queijo derretido (os pormenores valem ouro). De seguida coloque-lhes no seu interior os conteúdos de forma bem visível. Polvilhe com espírito crítico. Lembre-se que esta cobertura será o seu cartão-de-visita.

Coloque no seu interior, da forma mais coerente possível, os lombos já lourinhos (deixe arrefecer antes para não se queimar). Dobre a massa da sua rede de contactos em volta dos lombinhos até formar uma capa e pressione as uniões. Se achar que o conteúdo pode sair da massa, pincele a mesma com o resto das gemas e coloque um palito se necessário (em caso de dúvida é melhor jogar pelo seguro). Deixe no forno a 200º até atingir o aspecto desejável. Seja extremamente cauteloso para não deixar queimar o seu cozinhado agora que está tão perto do fim.

Para o molho seja cuidadoso e não se esqueça de provar várias vezes. Respeite as regras já ensinadas em receitas anteriores e lembre-se da importância da adequação do molho ao cozinhado em questão. Garantir esta coerência pode parecer complicado mas é aí que se esconde a chave do sucesso. Findas estas recomendações, se ainda não souber que molho escolher, vá a uma loja e estude os produtos existentes no mercado. Pode partir de uma base pré-feita e com um toque de originalidade, conferir-lhe um sabor único.

Por último, sirva os medalhões no prato, regue-os com o molho e acompanhe com os champignons laminados. Dê importância aos pormenores de decoração. Uma mesa bem decorada é metade do sucesso de uma refeição.

NB:
- Procure consultar outros manuais para se aperceber de cuidados e regras gerais para um bom funcionamento na cozinha;
- Não poupe em coerência e bom senso;
- Quanto melhor for o seu domino dos utensílios mais facilidade terá em produzir uma refeição de qualidade. Treine regularmente as operações com papel e caneta ou, em cozinhas mais modernas, PC ou Mac.
- Embora o factor surpresa seja importante lembre-se que este é um meio muito competitivo e que, em caso de dúvida, é preferível jogar pelo seguro e adequar os cozinhados aos convidados em questão.
- Procure ser minimamente agradável com os outros chefs e com eventuais colaboradores. Também na cozinha a diplomacia é um princípio importante que não deve ser descurado.
Nuno Fernandes

3 comentários:

Mestrandos de Edição de Texto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Drekas disse...

Será muito calórica a refeição?
Lol! Está Excelente Nuno; não te sabia tão apto para as lides culinárias. Sim senhor!
Parabéns!

Madalena Silva disse...

Nuno, estive a ler a tua receita com mais atenção. Da primeira vez tinha ficado com a sensação de que faltava alguma coisa. Agora já descobri: isto rega-se com o quê? Um bom tinto Alentejano? ou Douro? E para sobremesa? Uns crepes susete, flambés ali mesmo em frente dos convidados, acompanhados de um porto vintage, ou de uma Aldeia Velha, uma aguardente de eleição. Com o passar da noite, podem-se ir servindo pequenos textos lidos ao desafio, Cesariny, Sophia, Baudelaire... aí está uma belissíma tertúlia! Um abraço para ti.