sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Ano novo, Vida nova!

Olá a todos e um excelente ano de 2008.
Não sei qual é a vossa opinião mas a mim faz-me um bocado de impressão termos um blogue a que damos tão pouca atenção. Tirando a pobre da Andreia que se tem empenhado nos últimos tempos em colocar aqui algumas informações, (e algumas até bastante úteis e interessantes) quase nenhum de nós se esforça para activar o dito cujo! O que é pena. Podíamos fazer desta coisa um espaço bem engraçado já que praticamente todos somos oriundos de áreas ligadas às letras, à escrita, ao pensamento, à comunicação... enfim.
Esta reflexão levou-me a pensar em formas de fazer mexer o blogue e, por consequência, a turma do mestrado ou, pelo menos, os que quiserem participar, já que será uma participação na base do voluntariado, obviamente.
Lembram-se certamente dos microcontos que fizemos para a cadeira de Teoria. Máximo 20 linhas. Fiquem com isso em memória por mais algumas linhas de texto.
Entretanto, eu e mais alguns - a Filipa, o André, a Rejane, a Ana Valentim, o Carlos - temos como opção a cadeira de Estudos Interartes no decurso da qual muito temos falado de vanguardas, cubismo, modernismo, futurismo, sensacionismo, abstraccionismo, surrealismo e muitos outros ismos que nos idos do século 20 marcaram a sociedade portuguesa e europeia.
Claro que seria muita veleidade da nossa parte pensar que poderíamos aqui iniciar uma vanguarda, um novo ismo, uma corrente que nos distinguisse da massa amorfa e cinzenta que constitui o pensamento actual da nossa sociedade, eu sei.
Contudo, dos fracos não reza a história e a glória é dos audazes e mais vale rainha por uma hora que duquesa toda a vida, e há mar e mar e há ir e voltar, e por aí fora!
A proposta é, por isso, criar aqui uma espécie de cadavre exquis, isto é, uma espécie de cadaver esquisito que, como saberão, certamente, é uma técnica inventada pelos surrealistas: "A técnica do Cadáver-Esquisito, na sua forma escrita (e assim denominado por ter sido inicialmente obtido como resultado da sua aplicação à frase o-cadáver-esquisito-beberá-o-vinho novo), foi introduzida no início do século XX pelo Movimento Surrealista francês, consistindo na colagem colectiva de palavras, a partir de um acordo inicial quanto à estrutura frásica, para a qual cada interveniente contribui no passo que lhe cabe, dobrando em seguida o papel para que os demais não tomem conhecimento do que foi escrito; de forma a cumprir a seguinte sequência: artigo, substantivo, adjectivo, verbo (receita que confere ao cadáver o epíteto de ortodoxo). Este método inaugura novas possibilidades no campo dos jogos de palavras ao serviço da Poesia."
Ora aqui no blogue não é possível cumprir as regras do cadaver esquisito integralmente, uma vez que não se pode dobrar papel e avançar sem saber o que o anterior deixou escrito.
Mas podemos adaptar. A minha ideia consiste, por isso, no seguinte: cada um de nós contribui com a redacção de um microconto, sendo que o ponto de partida obrigatório será sempre a última frase (leia-se o último período) do microconto anterior que funcionará assim como uma espécie de reclamo, tornando-se a primeira frase do microconto seguinte.
E porque não chega ter ideias, proponho iniciar o processo com o primeiro microconto.
Mas preciso que me digam se acham a ideia demasiado absurda ou se estão de acordo com ela. E também gostaria de saber a vossa opinião sobre a maneira de passar ao seguinte e a periodicidade. Eu acho que, se queremos realmente agitar o blogue, os textos deviam ser diários ou, quando muito, entrar um novo dia sim, dia não. Há várias possibilidades de dar continuidade: uma delas é cada um entrar quando lhe convier, ou porque lhe surgiu uma ideia, ou porque tem tempo, ou porque gostou do texto anterior e acha que tem um bom mote para lhe dar continuidade, etc.
A vantagem deste método é a total liberdade criativa, o inconveniente é ficarem todos à espera uns dos outros e ninguém escrever nada no tempo devido.
Uma outra hipótese é cada um designar o seguinte, isto é, cada um indica quem vai pegar no seu texto e dar-lhe continuidade.
Bom, para início de ano, acho que é um desafio engraçado. Fico à espera dos vossos comentários para avançar com o primeiro texto.

Madalena Silva

5 comentários:

Drekas disse...

Madalena,

Sugiro-lhe que a sua ideia seja debatida na aula de 3ª feira.
Não sei se todos os colegas visitam o nosso blog.
Assim garantimos que é do conhecimento de todos.
Que lhe parece?

Nuno Fernandes disse...

Estou completamente de acordo. Acho a ideia fantástica. A sugestão da Andreia parece-me adequada, terça será um bom dia para estabelecer a mecânica. De qualquer forma podes já lançar o primeiro, assim sempre nos vais dando tempo para pensar.

Madalena disse...

Andreia e Nuno,
também estou de acordo. Ainda assim, mandei um e-mail a toda a gente (acho que não falhei ninguém) pedindo-lhes para passarem por aqui e deixarem a respectiva opinião. Mas acho que na 3ª feira é uma boa altura para falar disto.
Quanto ao primeiro conto, vou trabalhar nele de imediato e deixo-o ainda durante o fim-de-semana. Porque, pelo menos um seguidor vou ter, certo Nuno?

JoãoSilveira disse...

Venha o Cadáver!

Nuno Fernandes disse...

Certíssimo!